16 de ago de 2014

Because it’s not just about drugs and alcohol. It’s about anything we, as human beings, use to avoid feeling the pain of our own existence. Acting out compulsively with sex, relationships, video games, TV, gambling, food, exercise or whatever else stems from the desire and need to escape the very real and deep-rooted sorrow in each one of us.
Only, what is this pain? Where does it come from?
The world can just seem so giant and overwhelming.
-Nic Sheff

Não é todo mundo - nem qualquer pessoa, nem qualquer escritor - que consegue. Entender - e escrever exatamente o que você pensa. O que você sente quando não há mais ninguém por perto. Poderia ser o seu caderno na gaveta, mas é o livro de alguém que você nunca viu.
Não sou alcoólatra, não sou viciada, nunca fui diagnosticada com nenhum transtorno de humor e bem ou mal sei como lidar com minhas crises. Mas o sentimento de insignificância e fraqueza diante do mundo, a vontade de ser outra pessoa, as fantasias, o sofrimento e a dor sem razões aparentes - tudo isso me acompanha desde que eu consigo me lembrar, desde que eu comecei a pensar, desde que eu comecei a sentir.
Whatever planet I came from, he came from, too.
Pior do que sentir é ignorar a dor, fingir que ela não existe.
Contando os dias pelo livro novo.